Como funciona a bomba de combustível do posto?

Data da publicação: 06/08/2021

Compartilhe:

Estacionar o carro perto da mangueira, ser atendido pelo frentista e esperar a bomba de gasolina encher o tanque. Depois, é seguir viagem! Para quem passa nos postos ALE, o funcionamento de uma bomba de combustível parece simples. 

Já para o revendedor ALE, os minutos entre a chegada do cliente e o abastecimento representam um dos momentos mais importantes de todo o posto de serviço.

Afinal, é o correto funcionamento de uma bomba de combustível que oferece ao cliente a qualidade e confiabilidade que ele busca em um posto de serviços.

Portanto, entender cada parte do processo é fundamental não apenas para o revendedor, mas para toda a equipe de colaboradores do posto. Assim, qualquer problema ou imprevisto é corrigido na hora.

Vamos por partes: para entender como funciona a bomba de combustível no posto, vamos entender como funciona a bomba de abastecimento e, depois, o trajeto que o combustível faz até chegar no tanque de gasolina do cliente.

Lembrando que esse trajeto é válido para qualquer tipo de combustível. Leia aqui para entender mais sobre os diversos tipos de combustível que um posto de serviço pode ter.

Monitoramento em primeiro lugar

Uma das coisas mais importantes num posto de serviços é que tudo é monitorado e medido. Cada posto tem um ou mais reservatórios de combustíveis, que normalmente fica no subsolo, e nesse reservatório há sensores eletrônicos instalados para medir e controlar o nível do combustível existente. 

É fundamental que o revendedor e os colaboradores estejam sempre cientes do nível do tanque, por algumas razões:

O monitoramento dos níveis é feito manualmente ou eletronicamente. Em caso de emergência no estabelecimento, como algum vazamento, o computador solta um alarme. Normalmente, o sensor que mede o nível é instalado dentro do tanque.

Do caminhão até o tanque

Caminhão tanque da ALE Combustíveis em frente a um Posto ALE.
Os caminhões-tanque, como esse em formato elíptico, são responsáveis por levar o combustível até o reservatório do posto.

O combustível chega até o posto por meio de caminhões-tanque, que fazem o trajeto da petrolífera até a base de distribuição. São aqueles caminhões com tubos circulares ou elípticos atrás.

Assim que chegam no posto, eles são encaminhados para a área de descarga, na qual um cabo-terra é conectado do caminhão até o reservatório.

Esse processo de descarga do combustível é fundamental. Deve ser feito da maneira mais segura possível, uma vez que um líquido altamente inflamável está se movendo.

Além do cabo-terra, uma mangueira é conectada no bocal do tanque, e assim que o motorista abre a válvula de combustível do caminhão, a gravidade faz o papel.

Essa é uma das formas mais seguras de armazenar combustível, uma vez que o tanque no subsolo fica isolado de qualquer faísca ou condição climática que possa colocar o líquido em perigo.

Por dentro do tanque

O tanque de combustível dos postos tem entre 10 a 60 m³ de volume. Ele tem uma parede dupla e é enterrado a, no mínimo, 1,20 metro de profundidade.

O único contato desse reservatório com a superfície é por uma boca de visita e descarga, onde a mangueira que sai do caminhão é instalada. É nela que a conexão entre as bombas é feita.

O reservatório de um posto consegue armazenar de 10 mil a 60 mil litros de combustível. O tanque de um veículo de passeio tem, aproximadamente, 50 litros. Logo, um reservatório de 10 mil litros pode encher 200 carros a cada abastecimento.

Do tanque até a bomba

O combustível que sai do reservatório e chega até a bomba, onde é despejado no tanque do cliente, faz um trajeto que tem como missão garantir que o combustível não sofra nenhuma contaminação e seja transportado em máxima segurança.

A tubulação em PEAD leva o combustível do tanque para as bombas. Esse tubo é ligado às bombas, que possuem uma bomba de sucção para fazer o movimento de subida do combustível. Cada bomba tem um marcador eletrônico, ligado a um motor blindado à prova de explosão. 

Quando o frentista aperta o gatilho, o motor é acionado e liga a bomba de sucção, que mede o quanto de combustível foi medido no sensor.

E pronto! Agora é esperar o combustível entrar no tanque do cliente e todo o processo está feito.

O fluxo que você acabou de ler é fruto de anos de estudo e desenvolvimento para garantir a segurança, precisão e limpeza do combustível que sai das refinarias e chega até o veículo do cliente.

Na ALE, esse fluxo é seguido à risca com a missão de garantir a segurança de toda a equipe e a qualidade do combustível que cai no tanque de quem passa nos Postos ALE.

Além disso, treinamentos e workshops são oferecidos para o revendedor e sua equipe entenderem o processo de forma detalhada.

Você sabia que a ALE está sempre próxima dos revendedores e oferece produtos e serviços que facilitam o seu dia a dia? Quer saber como é fazer parte da família ALE? Veja como podemos te ajudar e fazer com que o seu negócio vá cada vez mais longe.

  • Posts Relacionados

  • 20 de julho: dia do Revendedor de Combustíveis

    ›››
  • Como abrir um posto de combustível?

    ›››
  • 6 dicas para otimizar o controle financeiro do seu posto

    ›››
  • Como calcular o valor da gasolina do meu posto?

    ›››